Barraca Armada - leitor erótico

Num fim de semana do ano passado fui para a chácara com toda a minha família, pois era aniversário de casamento dos meus avós, mas não caberia todo mundo dentro da casa para dormir, entre tios, tias primos e primas a turma era muito grande, por isso levei barraca.

No primeiro dia já fiquei muito feliz porque a minha prima mais gostosa da família tinha vindo. Torci para que o namorado dela não viesse também e minhas preces foram atendidas. Sempre rolou umas olhadinhas quando éramos adolescentes. Agora eu tinha vinte e dois anos e ela devia ter seus dezenove a vinte, se eu armasse direitinho um plano, traria ela à noite para minha barraca.

Para minha sorte, os nossos primos ou eram muito mais velhos que a gente ou muito criança, então ela quis a minha companhia para conversar sem eu fazer muito esforço. Chamei ela para gente jogar alguma coisa e ela topou. Lá pelas onze da  noite já não tinha muita gente acordada, só os meus pais e mais dois casais de tios. Ninguém deu muita atenção a nós dois na barraca sozinhos. 

Não sou dos caras mais bonitos entre meus amigos, mas gosto de malhar e sei que as garotas curtem isso, então lógico que fiquei sem camisa. Ela tinha uma bunda enorme uns peitos gigantes também, eu precisava realizar meu sonho de comer aquela menina.

Ficamos deitados de frente um para o outro conversando sobre seu namoro, ela não andava muito feliz porque o cara não tinha muito tempo para ela, por isso que nem foi naquele dia. Começou a falar que vivia carente. Meu pau ficou duro na hora, e nem tentei disfarçar, mas ela estava mal intencionada, estava com uma sainha rodada e uma blusa com decote escandaloso. 

Disse para ela em tom de brincadeira: 
- Quando tiver carente assim, me liga, estou sempre a sua disposição. Ninguém precisa ficar sabendo. 

Ela falou:
- Preciso te ligar agora ou você já resolve?

Nem dei tempo dela terminar, puxei a pelo pescoço e a beijei violento. Meu pau já estava armado faz tempo, e enquanto ela me beijava passou a mão por cima do meu short e começou a me tocar.

Desci minha boca para aqueles peitos que eu queria há muito tempo. Ela ameaçou gemer alto, então tapei a sua boca com uma mão porque ainda tinha gente acordada, o risco de alguém pegar a gente lá me excitava mais.

Ela virou de ladinho, e esfregou sua bunda enorme no meu pau. Enfiei a mão da minha mala que estava ao lado do colchão inflável e alcancei uma camisinha na carteira. Dois segundos eu já estava dentro dela fudendo sua buceta e tapando sua boca. 

Ela arrancou a calcinha e veio por cima sentando no meu cacete. Quase gozei, a putinha da minha prima ainda tinha uma tatuagem na virilha que me deixou mais excitado. Ficou falando no meu ouvindo sobre o namorado dela chegar e pegar ela dando para mim na barraca. Isso me deixou louco. 

Ela levantava e sentava com toda aquela bunda no meu pau, não aguentei e gozei demais naquela buceta apertadinha. Mais tarde, ainda a chupei até ela gozar na minha boca. Passamos parte da noite transando e transamos outra vezes ainda na minha casa, mas nunca esqueci aquele fim de semana.

História enviada por: Lucas. M. Z - Mato Grosso do Sul


CONVERSATION

4 comentários:

  1. aqui em portugal diz-se que quanto mais prima mais se lhe arrima

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. só tenho primos. mas podes fazer parte da minha família se quiseres

      Excluir