Primeiro cliente: o senhor do chat


Em plena segunda-feira, marcamos o programa numa sala de bate-papo, ele um sujeito grisalho disse que tinha 40 anos, mas pessoalmente confirmou que tinha mais, não que fizesse diferença, mas gosto de imaginar antes como é o cliente.
Confesso que no momento do encontro tive vontade desistir, não por causa do cliente, mas por toda a situação. Nos encontramos a tarde em frente a uma faculdade, entrei no carro dele e de lá fomos ao motel.
Ao entrar no quarto, me veio uma lembrança, eu já tinha estado num quarto daquele mesmo uma vez, mas com uma namorada, sim, você não leu errado.
Ele, vestia uma camisa gola-pólo azul marinho e calça jeans. Voz mansa, um sorriso disfarçado parecendo um pouco constrangido e surpreso.
Eu não sabia na verdade o que fazer como garota de programa, afinal, nunca saí com uma, mas agi de maneira natural como se fosse um encontro pessoal.
Tirei a roupa, sentei em seu colo e o beijei. Em seguida comecei a tirar seu cinto e o restante da roupa. Ele, definitivamente não estava à vontade, antes que eu me permitisse ficar numa situação embaraçosa, tirei seu pau pra fora e comecei a acariciá-lo.
Ele ficou mais animado, por uns instantes rolou um oral numa boa, mas acabou não rolando penetração porque ele não conseguiu continuar animado.
Depois de alguma tentativas, deitei de lado na cama e conversamos por alguns minutos e logo já estava na hora de nos trocarmos.
Embora tenha omitido a sua idade, o que me fez tomar um certo choque, ele foi um cliente que considerei tranquilo, já que foi o primeiro, e eu ainda não tinha parâmetro. Para um primeiro programa, eu só tinha um sentimento: dei (não literalmente dessa vez) meu melhor.

bjim

CONVERSATION

5 comentários:

  1. E quem dá o melhor ... não merece reprovação alguma

    ResponderExcluir
  2. Elogio a tua coragem e determinação! Depois de ler alguns posts procurei o primeiro! E vou continuar a seguir o teu percurso. Bjs do outro lado do Atlântico!

    ResponderExcluir